14.6.07

"A chuva e o impermeável: uma relação de mundo"

Obrigada a todos que contribuiram na minha pesquisa sobre CAPAS DE CHUVA.
Terminei o meu trabalho e aí está a minha conclusão.

A tecnologia avançou e a capa de chuva, por exemplo, ainda é uma peça do século XIX. Todos nós pensávamos que depois do ano 2000, tudo seria diferente! Crescemos pensando que no século XXI estaríamos vivendo uma cena do filme Guerra nas Estrelas: golas altas, capas e roupas metalizadas. Já estamos em 2007 e parece que pouca coisa mudou visualmente, pelo menos, quando se fala em moda. Hoje, temos uma vida agitada, saímos cedo de casa, andamos de carro e não temos tempo de pensar nas variações climáticas que podem ocorrer ao longo do dia. Quantas vezes saímos de manhã e nos esquecemos que moramos num país de clima tropical e somos pegos de surpresa por uma chuva de verão? O uso da capa de chuva não faz parte do nosso guarda-roupa; quando muito, temos um guarda-chuva, que sempre fica em casa, quando começa a chover. É curioso ver como as pessoas falam que as capas são elegantes, chiques e que adorariam poder comprar uma como aquela que Audrey Hepburn usa em Bonequinha de Luxo. Usar uma capa como a dela, faz a pessoa se sentir em frente da vitrine da Tiffany, em Nova York. Não fomos acostumados a usar capa. Não temos nem a tradição nem o sonho de ter um trenchcoat Burberry. Será que podemos mudar isto? Acredito que hoje, com a evolução da nanotecnologia, que ela poderá ser utilizada para dotar as capas de chuva de novas qualidades. É bem possível que estejamos evoluindo para a nano capa, a semelhança e imagem do guarda-chuva. A revista Times elegeu como a melhor invenção de 2006, o guarda-chuva NanoNuno. Esse guarda-chuva foi desenvolvido usando os princípios da nanotecnologia e não permite que a água penetre o seu tecido. Com isso, você não precisa ficar preocupado de entrar em lugares públicos e não saber o que fazer com o seu guarda-chuva molhado. Basta sacudir que ele já está seco. O problema é que ele custa caro e com certeza, o brasileiro não paga 100 dólares num guarda-chuva que vai largar esquecido na primeira loja que entrar. Penso, que em pouco tempo essa tecnologia vai possibilitar a existência de uma capa bem mais moderna, com um design bem mais arrojado do que a capa transparente de Blade Runner, usada no filme, no ano de 2019 e que foi filmada em 1982. Essa nova capa poderá ser de um material fino, leve, colorido, e com um design que poderá transformá-la em um acessório divertido para quando a chuva passar. Já pensou numa capa chaveiro? Um colar-capa? Um chapéu-capa? Uma nano capa? Acredito que a capa possa ser transformada em sonho de consumo como as sandálias Havaianas - todo mundo usa! As Havaianas foram comparadas pelo jornal americano Wall Street Journal e pela revista inglesa, The Independent Review ao Boing e ao Fusca, produtos que reinventaram suas categorias. É necessário aliar à tecnologia uma boa campanha de marketing, para que a capa de chuva seja incorporada ao nosso vestuário, com o mesmo vigor e sucesso das Havaianas!

2 comentários:

Cecília disse...

Que bacana sua pesquisa. Agora é só criar essa capa de chuva pós moderna, prática, leve e linda.
Sucesso!

silvia diniz disse...

Qdo penso em vc, imagino a elegante Simone, com uma máquina fotográfica à tiracolo (daquelas antigonas mesmo), mas dentro de uma capa de chuva cor caramelo...engraçado, mas é a imagem que construí ao longo desses anos, sem vê-la. Ainda tenho um cartão seu (arte postal) e um lápis de madeira e um pedaço de tecido falando sobre "o inverno que às vezes passa na gente">>> Saudades de vc, Simone! Abraços, Silvia Diniz